domingo, 6 de junho de 2010

Naquele instante o mundo parou, eu não sentia minhas pernas e só podia ouvir minha respiração e como meu coração tava pulsando forte. Eu não conseguia acreditar no que via, tampouco no que estava ouvindo. Foi tão único aquele momento, eu jamais havia me sentido daquele jeito, afinal depois de tanto tempo esperando, foi realmente surpreendente que em segundo todos os meus sonhos se tornassem reais. Sentir aquela presença, ver toda a saudade indo embora, era como se tivessem me colocado dentro de um sonho, o qual eu realmente não queria sair. Eu via seus olhos brilhantes, cheios de lágrimas, como os meus, olhando pra minha boca e observando cada detalhe do meu rosto. Eu permanecia ali, parada, sem reação, por que era tão difícil acreditar que tudo era real? Foi quando de repente eu senti suas mãos, suadas e frias, encostando nas minhas, enquanto a outra tocava meu rosto no mesmo instante em que uma lágrima caiu, fazendo com que tantas outras caíssem sem parar. Eu não podia chorar de tristeza, eu queria agradecer a Deus por aquele momento naquela hora, mas não conseguia pensar em nada. Minha primeira reação foi susurrar 'eu te amo' quando sua boca já estava encostando na minha, e aquele beijo foi diferente de todos os outros, era o que mais havia esperado, tinha um gosto diferente, tinha gosto de desejo, de saudade, tinha gosto de amor de verdade. Ao abrir os olhos senti teu abraço tão apertado, sentia suas mãos me apertarem com força, como se me segurasse firme, pra que eu nunca mais partisse. Tive certeza disso, quando te ouvi dizendo baixinho no meu ouvido 'é o primeiro de todos os nossos encontros, não vá pra longe nunca mais.'

Nenhum comentário:

Postar um comentário